domingo, junho 14, 2015

As recordações dos exames nacionais

Começa amanhã mais uma época de exames finais nacionais de 12º ano e fez-me reavivar as recordações dos meus tempos.
Recordo-me como se fosse hoje a azafama para os exames nacionais, dos truques e das estratégias que seguíamos para melhor prepararmo-nos para a prova de fogo. A osmose, esse processo de difusão entre seres vivos, era tantas vezes lembrado nas longas horas de estudo. Não me esquece as gravações da matéria que usava para estudar/ouvir repetidamente no tão pequeno e vanguardista Walkman.
Recordo-me como se fosse hoje os juízos e os conselhos dos professores, alguns até com maus presságios para o desfecho dos exames.
Lembro-me do frenesim e da frieza que era prosseguido o processo dos exames nacionais: polícia à porta da escola, entrada na sala por chamada, bilhete de identidade e uma caneta sobre a mesa, folhas de ponto personalizadas, um silêncio ensurdecedor apenas intervalado por suspiros e pelos passos dos professores vigilantes, das dúvidas que tínhamos mas que nenhum professor arriscava a tirar, etc etc…
Foi de tudo e de tão pouco que marcou essa fase, a verdadeira hora da verdade: os exames, o estudo intensivo a despedida de colegas, de professores e da escola. Um misto de sentimentos que antecedia a uma revolução na vida de um estudante, em particular de alguém que estaria prestes a deixar uma pequenina terra para tirar a licença para aprender na capital, em Lisboa.
Em 1998, como se fosse hoje. Imagino quantos estudantes sentem o mesmo que senti nesses dias tão importantes de minha vida. Naquela altura, como hoje, aconselho aquele que foi e continua a ser o meu lema: Querer é poder

Boa sorte a todos os estudantes e a todos os que com eles dão o suporte e força para a superar com distinção este desafio. 

quarta-feira, junho 03, 2015

ENSINAMENTO: Antes de...

"Sempre me sinto feliz, sabes porquê? Porque não espero nada de ninguém. Esperar sempre dói. Os problemas não são eternos, sempre tem solução. O único que não se resolve é a morte. A vida é curta, por isso ame-a! Viva intensamente e recorde:
 Antes de falar... escute! 
Antes de escrever... pense!
 Antes de criticar... examine!
 Antes de ferir... sinta!
 Antes de orar... perdoe!
 Antes de gastar... ganhe!
 Antes de render... tente de novo!
 Antes de morrer... viva!"
William Shakespeare