quarta-feira, abril 27, 2011

O Coveiro Sócrates

O Coveiro Sócrates!

Portugal bateu no fundo. O descalabro das contas públicas e a desconfiança política em José Sócrates tornaram o País pouco desafiante e atractivo.

O discurso de vitimização de Sócrates destoa com a situação que conduziu o Estado. Em 6 anos de governação, Sócrates fez o que supostamente se julgava impossível:duplicou o desemprego e o nível de endividamento externo do País. Porém, apesar da situação que originou, tem o desplante de pedir novamente o voto aos portugueses.

A máquina de propaganda socialista, com a sua habilidosa estratégia de enganar o Povo, subverte as condições políticas que teve para governar o País. Como se os avanços, recuos e as imprecisões das contas públicas não bastassem, têm o atrevimento de culpar a oposição pelo fosso em que Portugal chegou. Afinal quem Governou o País nos últimos 6 anos?

Os sucessivos PEC`s e a falta de resultados reais são suficientes para evidenciar a incapacidade de Sócrates e do PS para governar. Por seu turno, e ao invés do que o demissionário primeiro-ministro quer justificar, a descrença dos mercados internacionais e as avaliações das agências de rating não aconteceram apenas desde a crise política, mas há bem mais tempo. Estamos perante o coveiro do País, o coveiro da verdade e o coveiro da confiança dos mercados nacionais e internacionais – José Sócrates.

Nós por cá, na Madeira, temos vindo a alertar para o rumo que o País trilhava, e ao invés da tendência nacional, houve resultados e desenvolvimento.

Apesar do impasse, a palavra, democraticamente, pertence aos portugueses, porque como dizia Sá Carneiro, “Portugal não é isto nem tem de ser isto”.

Há que acreditar que os portugueses irão fazer valer o seu voto e torná-lo útil, dando-o, já no dia 5 Junho, a quem tenha sentido de Estado, ofereça esperança e que tenhacapital político para resgatar o futuro de Portugal. O País não pode se deixar enganar novamente.