quinta-feira, janeiro 15, 2009

O que o país precisava…

Ontem debateu-se no parlamento nacional o estado da saúde no nosso país e o “ilusionista” José Sócrates, mais uma vez tirou da cartola soluções eficazes que mudam radicalmente o sector. A principal medida desta feita foi a criação de um banco público de células umbilicais. ESTÁ DESCOBERTA A PÓLVORA!

Os verdadeiros problemas da saúde do nosso país ficaram resolvidos. Aliás quando saímos à rua a maior preocupação dos portugueses é onde guardar as células umbilicais. Pois é, deixemos o nosso governo virtual continuar a governar para um país que só pode ser virtual nos seus olhos.

Na verdade cada vez menos são as células umbilicais da maneira que isto está a apertar torna-se cada vez mais difícil para as famílias pensar em ter filhos. Mais uma medida estruturante que muda o pais.

Apesar de ser uma medida importante, não podemos esquecer que os problemas da saúde ainda estão num patamar mais básico, especificamente nos cuidados mais básicos e na capacidade do serviços a responder às solicitações.

sábado, janeiro 10, 2009

Madeira de Outros Tempos




A Madeira de outros tempos, se calhar um tempo onde também devemos estar orgulhosos, mas que retrata aquilo que muitos não querem ver.

Mudaram-se os tempos a obra nasceu!
Não vê quem não quer, mas há recordações imagens e videos que valem mais do que mil palavras.

quinta-feira, janeiro 08, 2009

2009: Um ano sui generis

A ano que ainda agora começou promete, pelos factos, pelas previsões e pela agenda em diversos domínios. Nesse sentido entendi realçar alguns factos que na minha perspectiva marcaram a história do 09.

1. Crise Financeira e Económica
O nosso planeta vive em dias de agonia, de profunda incerteza e de falta de confiança face à tão falada “CRISE”. Todos sabem, e todos de uma maneira ou de outra, sofrem as suas consequências.
As previsões apontam para um ano complicado onde as economias estagnam (para os mais optimistas) e/ou entram em recessão.
Portugal o grande país, que segundo alguns dos nossos políticos não está assim tão mal não vai passar ao lado. Aliás sinais não nos faltam, desemprego, aumento dos preços e aumentos salariais que não correspondem aos valores da inflação. Neste aspecto, ao meu país só me resta uma esperança, como estamos em ano de eleições pode ser que o Governo PS faça gracinhas melhore algum tempo, mas que enterre por completo o nosso país para os próximos anos.

2. Eleições
Os três actos eleitorais que se realizam em 2009 exigirão uma velocidade política e partidária que de longe não se sentirá noutros domínios da vida pública e social do nosso país.
Efectivamente os nossos representantes dos diversos órgãos têm e devem ser eleitos. Do meu ponto de vista, os eleitores chamados às urnas devem dar um sinal de insatisfação e de desconfiança derrotando para tal todo e qualquer lista socialista, na medida em que são os principais causadores da insustentabilidade do nosso país.

Resta cada qual dar o seu melhor na sua profissão, na gestão familiar e na vida em comunidade. As circunstâncias efectivam-se com o esforço de cada qual. Eu acredito que TODOS podemos ajudar a mudar o nosso mundo em 2009.