sexta-feira, agosto 29, 2008

OBAMA A PRESIDENTE!


Nesta madrugada (em Portugal) Barack Obama foi nomeado candidato a Presidente dos Estados Unidos da América pelo Partido Democrata, esta candidatura e todo este longo percurso são susceptíveis de algumas reflexões:

- O mundo precisa de líderes empenhados e transmissores de esperança. Barack Obama é uma agradável surpresa para a política. Os líderes políticos dos novos tempos devem ser capazes de transmitir convicção, Obama transmite.
Um líder precisa de transmitir esperança especialmente num período conturbado para a economia mundial, Obama transmite.

- “Eu aceito a vossa nomeação para candidato democrata a Presidente dos Estados Unidos da América”. Está e a parte mais caricata na aclamação do candidato à Casa Branca. Mas alguém lhe passava pela cabeça, que depois de umas disputadíssimas primárias, Obama pudesse recusar esta nomeação? Ao bom estilo americano numa arena com 75000 pessoas, um verdadeiro espectáculo político.

- Obama tem muitas possibilidades de se tornar o primeiro Presidente “molato” dos Estados Unidos da América, este poderá ser um marco de viragem nos preconceitos dos americanos e do mundo.

A luta ao lugar na Casa Branca será aguerrida Obama pelos democratas e Mccain pelos republicanos, esperaremos por um desfecho clarificador, e que possa trazer estabilidade para o pais e para o mundo. A América precisa de um presidente ponderado, dialogante e atento aos problemas que assolam o país e o mundo.


Neste cenário, não podemos descurar o novo estilo em política de Obama, ao qual me identifico e admiro. Obama um homem que sempre acreditou que podia “mudar o mundo”, O nosso mundo bem precisa e agradece!

quarta-feira, agosto 27, 2008

Calor do Verão



Algumas notas:

1. Violência em Portugal
Há muito que tenho vindo a alertar que este país está em crise profunda, e sobretudo que os portugueses já não aguentam esta situação de estrangulamento face a uma crise mundial e a um governo que faz apertar os cintos aos portugueses, para dentro em bveve apresentar as medidas mais populistas e mais eleitoralistas;

2. Silêncio PSD
Passado o estado de graça do PSD após a eleição da nova líder, é de estranhar todo o silêncio em torno de questões muitos importantes para o país e para os portugueses: violência, crise, etc. Uma nova liderança que errou à nascença. Toma posse e vai de férias. Opta pelo silencio quando os portugueses esperam palavras, conforto e esperança do maior partido da oposição;

3. Jogos Olímpicos de Pequim
Apesar de valer uma medalha de ouro e outra de prata não podemos esquecer todas as polémicas e sobretudo a decepção dos resultados da generalidade dos atletas portugueses. Para Londres os portugueses devem esperar outra atitude e se calhar outros estilos de gestão desportiva.

4. Futebol
Aí está uma nova época de futebol! A paragem foi uma das menos produtivas para os cofres dos clubes. É caso para dizer que a crise financeira chegou também ao futebol. O que se espera da nova época? Mais futebol, menos apitos. Mais qualidade futebolística e espectáculo dentro de campo, e menos páginas na imprensa de insultos entre os dirigentes dos clubes.