quarta-feira, outubro 25, 2006

o José e o modelo ideal de autonomia....

O José anda por aí a apregoar e apresentar uma moção para salvar Portugal. Anda por todas as paróquias a promover essa tal moção e a fomentar mais uma campanha de marketing como primeiro-ministro. Infelizmente a pessoas que não sabem distinguir o que deve ser um discurso de partido e um discurso de governo, então vai se misturando umas “papaias” aqui e ali...ao seu género.

Mas afinal na sua visita aos Açores voltou a apontar as baterias e as armas contra a “espinha atravessada”... não será difícil adivinhar... a Madeira. Vai aos Açores enaltecer o excelente exemplo de autonomia.
Os Açores são sem sombra de dúvida o verdadeiro modelo de autonomia e acima de tudo de desenvolvimento e de aproveitamento de fundos…
Ainda aqui estamos….

António Trindade

quinta-feira, outubro 19, 2006

Orçamento de Estado para 2007! Portugal dos Pequeninos....

Orçamento do Estado é em Portugal o instrumento de gestão que contém a previsão das receitas e despesas públicas, apresentado pelo Governo à Assembleia da República.

O Governo da República apresentou o Orçamento de Estado para o ano de 2007, no entanto nele reflecte-se mais um ano de “apuros” e de “bolsos vazios” para os portugueses. Quando se fala que a crise já está ultrapassada, aí vem um orçamento que exige contenção orçamental para as famílias portuguesas e também no aumento dos impostos.

Os impostos voltam a aumentar… pois é … e se todos se recordam na campanha das últimas eleições legislativas em que o candidato (actual primeiro-ministro) dizia em alto e bom tom que não iria aumentar os impostos. Ficou na memória, mas a prática traduz-se precisamente ao contrário.

O Orçamento de estado resume-se no aumento dos impostos, continuação do crescimento da despesa pública e uma quebra no investimento público.

Então Vejamos algumas curiosidades que alterarão a vida dos portugueses e o nosso país sempre a crescer( que já não está em crise):

Portugal continua a se afastar dos níveis de crescimento da União europeia;

Os funcionários públicos vão ter um aumento salarial na ordem dos 1.5%, abaixo da taxa de inflação;

Na saúde para além dos cortes orçamentais, o governo reforça o co-pagamento estado/cidadão: Famosas taxas moderadoras e a redução da comparticipação dos medicamentos;

Na educação houve corte na ordem dos 4.5% em relação a 2006. Num momento em que a maior parte das instituições já mal têm dinheiro para pagar as despesas correntes…para onde caminhamos? A educação é uma área estratégica para o desenvolvimento do país e o governo da república actua desta forma;

O governo corta apoios ao arrendamento jovem;

O imposto automóvel sobe à taxa da inflacção;

Num período em que se exige um esforço e sacrifício aos portugueses e a todas as famílias não se compreende que o governo continue a insistir no TGV e no aereoporto da OTA.

Não sou que digo… mas sim a proposta Orçamento de Estado para 2007.

È o ano 2007 que o Governo da República nos proporciona…. Obrigado… (por continuarem a afundar Portugal).
http://trindade-antonio.blogspot.com/

quarta-feira, outubro 04, 2006

Desgraçados Ataques!

Assiste-se a uma batalha neste momento entre o Governo Sócrates ( Partido Socialista) e a Madeira (Alberto João Jardim).
Infelizmente, Portugal para muitos não é composto pelo continente e pelas Ilhas, Portugal é para esses apenas o continente. Dentro desses muitos está o nosso Primeiro Ministro José Socrates.
A proposta de nova lei das finanças regionais é claramente um exemplo da discriminação, da batalha, quiça ... da inveja. Pretende-se derrubar o poder político na Madeira através dos cortes financeiros do governo central para a Região Autónoma da Madeira.
Muito bem... todos nós compreendemos que estamos em período de contenção, pois quando vamos com a mão ao bolso sentimos que ele (bolso) para além de estar desgastado está esvaziado, mas esse não é só per si motivo para ter dois pesos e duas medidas em relação às regiões autónomas. Melhor entre a região autónoma que predomina a cor Rosa e a que predomina a cor de Laranja.
Triste e revoltado fico ao pensar que temos um governo que quer Portugal com elevados índices de desenvolvimento, e que vai de encontro aos números e às médias europeias quando amputa uma das regiões com os melhores indíces de desenvolvimento de Portugal- A Madeira.
Bem Haja senhor primeiro ministro, nivelar por baixo é uma boa estratégia feita à sua imagem e à imagem de uma batalha que o resultado esperado é o derrube do PSD/ Madeira. Será Fácil?...
Fracos não somos, e já demonstramos com trabalho, com propostas, com desenvolvimento, e essencialmente com 40 vitórias eleitorais em 30 anos. Continuaremos a trabalhar e tendo sempre em conta o todo poderoso o dono da razão e acima de tudo o "autoritarismo" ao não reconsiderar esta vergonhosa Lei das Finanças Regionais.
AT