quarta-feira, março 15, 2006

A NOSSA COMUNICAÇÃO SOCIAL


QUEM DÁ MUITO À TARAMELA, NÃO SABE NUNCA O QUE DIZ.

Não costumo entrar em grandes “ondas” com a comunicação social, contudo considero que por vezes os jornalistas de jornais “ditos credíveis” comportam-se à altura da imprensa COR DE ROSA. No fundo o que se faz é arrasar no título, e a notícia correspondente não tem qualquer tipo de relação com o slogan da notícia.
Vivemos numa era em que a Comunicação Social (CS) transformou-se no primeiro poder, em que tem o poder e o acesso a informação privilegiada, e que tem a faculdade de “apontar armas” a quem quer que seja. Refiro-me ao artigo que um órgão de imprensa escrita sobre as Casas do Povo da Região Autónoma da Madeira relativamente a uma auditoria do Tribunal de Contas(TC). No fundo nesse artigo apelidam-se os dirigentes destas instituições de “corruptos e canalhas” e que não sabem gerir dinheiros públicos. No entanto o teor do parecer do TC, na sua generalidade alerta para PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS e não IRREGULARIDADES FINANCEIRAS que DEVEM SER TIDAS EM CONTA.

As contas são públicas e a consciência dorme tranquila.
Que se faça justiça a todos os que dão o melhor de si próprios em prol da comunidade e do bem comum. Mais, se estas pessoas fossem gestores profissionais exigiriam algo em troca e certamente não dispensariam o tempo para estas acções voluntárias.

Para agradecer ninguém aparece ou escreve, mas para matar lá estão todos. Obrigado penso que os dirigentes ganham mais força, motivação e entusiasmo com as armas ao pescoço.QUEM NÃO DEVE NÃO TEME